Postado em 26 de Agosto às 11h17

Como funciona um aterro sanitário

Meio Ambiente (78)

A função é garantir a disposição final segura de resíduos sólidos

Os aterros sanitários servem para a disposição final de resíduos de diversas naturezas. O Ministério do Meio Ambiente caracteriza aterro sanitário como uma obra de engenharia projetada sob critérios técnicos.

A construção de um aterro precisa ser autorizada por órgãos competentes. Todas as ações relativas ao aterro passam por constante monitoramento e fiscalização.

A finalidade de um aterro sanitário é garantir a disposição final de resíduos sólidos de forma segura à saúde pública e ao meio ambiente.

Confira as explicações de Mauro Miguel Narciso, Engenheiro Sanitarista e Ambiental, responsável técnico do Grupo Servioeste.

Quais tipos de resíduos um aterro pode receber?

Existem diferentes tipos de aterros e cada um deles é projetado para receber determinados resíduos. Nos aterros Classe I são depositados resíduos perigosos, com características tóxicas, inflamáveis e patogênicas.

Os aterros sanitários comuns recebem resíduos Classe II, tais como: domiciliares – chamado lixo comum; comerciais; de prestação de serviços; industriais - a depender de suas características; resíduos de serviços de saúde (RSS) pós-tratamento pertinente.

Como é construído?

Existem várias técnicas de construção de aterro sanitário ou industrial, que levam em conta a geologia e a topografia local. São feitas escavações e impermeabilizações para o tratamento dos subprodutos resultantes da disposição, basicamente os líquidos percolados (chorume) e os gases que deverão ser tratados em sistemas específicos, de acordo com suas particularidades.

Pode ser próximo ao perímetro urbano?

A construção de um aterro preciso levar em conta a legislação ambiental e os planos diretores municipais. Requer Licença Ambiental Prévia; Licença Ambiental de Instalação e Licença Ambiental de Operação. As obras não devem estar muito próximas ao perímetro urbano, nem muito distantes a ponto de inviabilizar a logística operacional do processo.

Qual o tempo de vida útil de um aterro?

A vida útil de um aterro sanitário varia de acordo com a área disponível e a quantidade de material a ser depositado. Normalmente, um aterro é projetado para durar mais de 20 anos, visto o volume de investimento requerido para construção e operação.

O que acontece depois que um aterro é totalmente preenchido?

Depois de totalmente preenchido, existe um fechamento que garantirá a não contaminação externa. A área poderá servir de parques ou áreas de reflorestamento, sempre em conformidade com as características locais. Por ser um ambiente vulnerável, não poderão ser construídas moradias ou edificações comerciais.

O que ocorre com o passar dos anos?

Com o passar dos anos o material depositado se decompõem, gerando subprodutos, como gases e líquidos percolados (chorume). O solo vai se estabilizando e deve ser controlado de forma permanente.

Veja também

Grupo Servioeste realiza palestras e treinamentos nos estados de SC, PR e RJ23/02/18 Foi realizado, no início de fevereiro, treinamento com os funcionários do hospital Unimed de Balneário Camboriú, em Santa Catarina. Os colaboradores da Servioeste explicaram aos profissionais do Hospital sobre a importância em segregar, acondicionar e identificar corretamente os resíduos do gerador, para que a coleta, transporte, tratamento e destinação final......
Grupo Servioeste promove Semana do Meio Ambiente05/06/17 Com o tema “Como aplicar a sustentabilidade na minha vida?”, empresa proporciona uma semana de palestras e workshops com informações valiosas aos seus colaboradores. Para marcar o Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5......

Voltar para Blog