Postado em 15 de Junho às 10h45

Prática sustentável

Composteira

O Setor Ambiental da Servioeste Chapecó viabiliza composteira para destinar resíduos orgânicos produzidos no setor administrativo. A intenção é diminuir o volume de resíduos enviados a aterros sanitários e reduzir a emissão de gases poluentes.

Agora, os colaboradores que trabalham diariamente na sede vão contribuir ainda mais com o meio ambiente ao depositar as sobras de suas refeições e cascas de frutas na composteira próxima ao refeitório.

Este modelo de composteira, criado pelo professor Germano Guttler da UDESC - Lages (SC), permite o aproveitamento integral dos resíduos orgânicos e não tem grandes restrições, já que pode receber materiais de origem animal como carnes, alimentos industrializados, restos de refeições cozidas, cascas de frutas, verduras, ovos.

Um espaço de 10 m² pode comportar mais de uma tonelada de lixo orgânico por ano.

“Anteriormente, tínhamos outro tipo de composteira na matriz, no entanto, resolvemos aplicar o Método Lages por sua praticidade e eficiência”, comenta Lucas Sousa Barbosa, Engenheiro Ambiental e Sanitarista da Servioeste. “Basta depositar os resíduos orgânicos no espaço de terra destinado para isso, cobrir com serragem ou folhas secas e fazer alguns furos a cada dois ou três dias para permitir a oxigenação. Em 20 ou 30 dias já é possível plantar mudas ou usar a terra como adubo.”

As composteiras domésticas auxiliam a reduzir a emissão de gases poluentes, o espaço em aterros, e são ótimas fontes de adubo para plantas e hortas.


Postado em 09 de Junho às 09h37

Grupo Servioeste, referência internacional

  • Servioeste - Soluções Ambientais para Resíduos de Saúde -

Doacyr Balbinot, Presidente do Grupo Servioeste, recebe troféu no The Winner Awards 2021- Paris, por promover o desenvolvimento sustentável e crescimento socioeconômico brasileiro. O Grupo Servioeste foi destaque na Categoria Platinum por oferecer soluções focadas no cliente e pela qualidade dos serviços prestados.

O Troféu The Winner Awards é conferido pela Revista International Business, que reúne jornalistas e publicitários de Marketing com vasta experiência no mundo dos negócios. A premiação decorre da indicação da equipe editorial da Revista e leva em conta a reputação empresarial, tecnologia empregada e ações sustentáveis. A cerimônia oficial deverá ocorrer em setembro de 2021, no Hyatt Regency Paris Etoile, em Paris.

A Servioeste já recebeu mais de 20 prêmios e certificados. A empresa é pioneira e iniciou suas atividades em 1999, mesmo antes da regulamentação do setor pela Anvisa, em 2004, e da legislação brasileira tornar obrigatória a coleta, tratamento e disposição de resíduos de serviços de saúde, em 2005.


Postado em 04 de Junho às 11h35

Sustentabilidade

O primeiro passo, é você quem dá.

O conceito moderno de sustentabilidade consiste no padrão de produção e consumo conscientes, considerando o uso racional dos recursos naturais e seu reaproveitamento.

Indústria e consumidores precisam pensar em todo o ciclo de vida do produto: de onde vem, para onde vai ou o que vai gerar depois de descartado, observa Maria Lúcia Bianchi, professora da Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais.

A boa notícia é que a sociedade está disposta a mudar. A cada dia surgem novos consumidores conscientes. Pesquisa realizada pela Ipsos Global Advisor com 14 nações revela que 79% dos entrevistados afirma ter vontade de adquirir produtos mais saudáveis e melhores para o meio ambiente.

E como formar consumidores conscientes? Tatiana Assali, Gerente de Relações Institucionais do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), entende que a maneira mais efetiva passa pelo conhecimento e educação, acesso a informações e materiais didáticos que apostem nas questões socioambientais. “O desenvolvimento socioeconômico e a redução das desigualdades sociais no Brasil são fatores determinantes para a formação de consumidores mais conscientes e também para o avanço da economia circular.”

Tornar o modelo econômico circular significa repensar a produção e o consumo de maneira que os resíduos não sejam gerados, ou que possam ser reutilizados no processo produtivo. Tatiana Assali sugere aos empresários que olhem para seus produtos e pensem como reduzir o uso de recursos e a geração de resíduos. "A indústria circular pode e deve levar em conta as diferentes realidades locais e regionais, os insumos e recursos existentes na região, por exemplo, e usar o design como ferramenta essencial para a economia circular”, conclui Tatiana.


Postado em 28 de Maio às 09h42

Servioeste é reconhecida por ações sustentáveis

Movimento ODS

A Servioeste, além de cumprir sua missão de garantir a excelência na prestação de serviços, preocupa-se com a sustentabilidade do planeta, priorizando melhorias na saúde pública e qualidade de vida.

Em 2017, o Grupo Servioeste aderiu ao Movimento Nacional ODS - Objetivo de Desenvolvimento Sustentável. Este ano, a Servioeste recebe novo selo atribuído pelo Movimento ODS Santa Catarina, o que demonstra o esforço da empresa em desenvolver ações focadas nos 5’Ps da sustentabilidade: Paz, Pessoas, Planeta, Prosperidade e Parcerias.

Os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), estabelecidos em 2000, mediante esforço intergovernamental coordenado pela Organização das Nações Unidas (ONU), contribuíram para a construção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Em 2015, mais de 190 líderes mundiais propuseram 17 Objetivos e 169 metas a serem alcançadas até 2030.

A chamada Agenda 2030 reconhecia que as ações para acabar com a pobreza deviam estar aliadas a planos de crescimento econômico e responder a uma gama de necessidades sociais, como educação, saúde, proteção social e oportunidades de trabalho, abordando as mudanças climáticas e proteção ambiental, infraestrutura, energia, consumo, biodiversidade, oceanos e industrialização.

A excelência nos serviços prestados, a oferta por soluções inteligentes e sustentáveis tem consolidado o Grupo Servioeste como um dos maiores no ramo de tratamento de resíduos de saúde do Brasil. São dezenas de certificados que conferem qualidade, profissionalismo e caracterizam a Servioeste como empresa am,bientalmente responsável e solidária.


Postado em 25 de Maio às 09h09

Dia da Indústria

Resíduos industriais

Uma indústria ambientalmente consciente é administrada levando em conta todos os cuidados possíveis com a natureza.

Um dos primeiros passos é ter ciência de que as “sobras” da produção industrial precisam de tratamento especial e destinação específica.

Todos os resíduos industriais, perigosos ou não, precisam ser coletados, transportados, tratados e destinados corretamente.

O tratamento dos resíduos industriais deve partir do pressuposto da sustentabilidade em toda a cadeia produtiva: o reaproveitamento máximo antes do descarte. A proposta é que as indústrias gerem o menos possível de resíduos, separem de forma correta, reutilizem, reaproveitem e reciclem.

A Servioeste possui tecnologia de ponta e nossos colaboradores são altamente capacitados para auxiliar na gestão dos resíduos de sua empresa.

Entre em contato e conheça nossos serviços.


Postado em 21 de Maio às 09h10

Certificado de Destinação Final

Documento é necessário para renovação de licenças e alvarás

Os órgãos ambientais exigem que as empresas comprovem a execução correta da gestão de seus resíduos. Os laudos técnicos ou Certificados de Destinação Final (CDF) emitidos pela empresa contratada para a coleta, tratamento e destinação final, atestam que as normativas foram seguidas em relação ao cuidados ambientais.

No ato da coleta, os colaboradores da Servioeste realizam a pesagem dos materiais de acordo com cada grupo. Os resíduos, acompanhados pelo Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR), são transportados até a Central de Tratamento de Resíduos, onde passam por tratamento e destinação final, conforme parâmetros legais. Os laudos são disponibilizados no mês subsequente às coletas e contêm as informações do gerador, da classe e da quantidade de resíduos e do período de coleta.

O laudo (ou CDF) é a garantia do gerador de que seus resíduos chegaram corretamente ao destino final.

Segundo a Engenheira Ambiental e Sanitarista do Grupo Servioeste, Caroline Beutler, “o laudo é um comprovante da empresa contratada para o cliente gerador de resíduos. Ter acesso aos documentos pela internet é mais fácil e prático tanto para a empresa quanto para os clientes. A emissão online agiliza o processo e garante a confiabilidade dos serviços.”

Com login e senha, o cliente pode consultar no site da Servioeste os laudos emitidos
, bem como aos documentos públicos e licenças.


Postado em 14 de Maio às 10h02

Infecção hospitalar

Controle passa pelo tratamento de resíduos de saúde

No Brasil, de 100 pacientes internados, 14 são infectados enquanto recebem cuidados de saúde. 

Tiago Danelli, farmacêutico, especialista em Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS) e doutorando em Fisiopatologia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), explica que estas infecções estão associadas a grupos de microrganismos multirresistentes conhecidos como grupo ESKAPE, que apresentam altas taxas de morbimortalidade nos ambientes de assistência à saúde, justamente devido à resistência a medicamentos antimicrobianos potentes de uso hospitalar.

Além dos altos índices de mortalidade, envolvem custos elevados de tratamento e ampliação do tempo de permanência nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs), o que acaba reduzindo a disponibilidade de leitos para tratar outras enfermidades.

“Os microrganismos ligados às IRAS estão relacionados a infecções oportunistas em pacientes imunodeprimidos, com saúde debilitada ou suscetíveis, como aqueles que passaram por processos cirúrgicos, acidentes automobilísticos, queimaduras, câncer, etc. Toda bactéria multirresistente é preocupante, pois frente a uma baixa imunológica ou em pacientes com comorbidades, pode gerar infecção”, assegura Tiago Danelli.

Projeção da Organização das Nações Unidas (ONU) estima que até 2050, 10 milhões de pessoas poderão morrer a cada ano devido a infecções causadas por microrganismos multirresistentes. Em 2019, a organização divulgou as 10 ameaças à saúde global, dentre elas, a resistência antimicrobiana, principal entrave no tratamento das infecções hospitalares.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as infecções hospitalares podem ser controladas com medidas de prevenção:

Lavagem completa e padronizada das mãos;

Bons hábitos de higiene – etiqueta da tosse e espirro;

Uso adequado de álcool 70%;

Uso correto de Equipamento de Proteção Individual (EPIs);

Atualização do calendário de vacinação dos profissionais;

Controle e monitoramento da colonização de bactérias nos pacientes;

Isolamento dos pacientes quando houver indicação clínica;

Monitoramento do ambiente hospitalar;

Limpeza e desinfecções dos ambientes;

Correto tratamento de efluentes e resíduos de serviços de saúde.

O termo Infecção Hospitalar foi ampliado há alguns anos. Hoje, fala-se em Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (IRAS). As IRAS são contraídas em diferentes locais de assistência à saúde, como lares de idosos, home care, hospitais e clínicas, durante internação, procedimentos cirúrgicos ou ambulatoriais, podendo manifestar-se inclusive após alta do paciente. O conceito abrange também as infecções ocupacionais adquiridas por profissionais de saúde.

Resíduos de Serviços de Saúde

A gestão adequada dos resíduos de saúde (RSS) reflete uma cultura de segurança institucional que pode ser determinante no processo assistencial e evitar desfechos desfavoráveis em saúde, afirma Danielly Negrão, doutora em enfermagem, com ênfase em gestão de resíduos de serviço de saúde.

Quando manipulados e descartados de forma inadequada, os resíduos de serviços de saúde (RSS) podem interferir no controle das infecções hospitalares, aumentar a resistência dos microrganismos e representar risco à saúde humana e animal.

A Anvisa exige dos geradores de resíduos a elaboração de um Programa de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), contendo as etapas relativas ao manejo dos resíduos sólidos (da geração à disposição final), bem como as ações de proteção à saúde pública e ao meio ambiente.

A Legislação Federal obriga a existência de Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e de Programa de Controle de Infecções Hospitalares (PCIH) em instituições de assistência à saúde, além da capacitação de colaboradores, visando a prevenção da disseminação de agentes infecciosos.