Postado em 08 de Setembro às 10h47

Transporte de cargas perigosas

Negócios (19)

Treinamento e atenção constante são fundamentais

Amarildo Maciel de Oliveira foi motorista profissional de cargas perigosas por 18 anos. Da prática, traz na memória as regras e detalhes do ofício. Lembra da importância dos treinamentos, da direção defensiva e do olhar sempre atento à estrada, ao veículo e à carga. “É preciso conhecer o produto que está transportando e saber que reações químicas podem acontecer. Trabalhar com cargas perigosas requer domínio e controle do veículo, uso de EPI´s e resposta rápida no caso de emergência para evitar danos a si mesmo, aos outros e à natureza”.

Produtos perigosos são aquelas que apresentam algum risco ao meio ambiente ou à saúde humana. Diferentes atividades industriais, comerciais ou de prestação de serviços utilizam substâncias perigosas e também geram inúmeros resíduos classificados como perigosos. 

O que determina sua periculosidade são suas propriedades físicas, químicas ou infectocontagiosas tais como: inflamabilidade, corrosividade, reatividade, toxicidade, patogenicidade, carcinogenicidade, teratogenicidade e mutagenicidade. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) classifica estas substâncias que podem provocar intoxicação, doenças e/ou morte, além de afetar a qualidade ambiental.

Legislação


O transporte de cargas perigosas está entre os transportes mais difíceis do setor e demanda profissionais altamente treinados, comenta Vinícius Variani, Gerente de Logística do Grupo Servioeste, empresa especializada na coleta, transporte, tratamento e disposição final de resíduos sólidos.

A resolução da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT 5232/2016), o Regulamento para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos (Res. 5.848 ) e a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, estabelecem requisitos e procedimentos que garantem a preservação das condições de acondicionamento dos resíduos, a integridade dos trabalhadores, da população e do meio ambiente.

O condutor deve ter certificação do curso de Movimentação Operacional de Produtos Perigoso (MOPP), regulamentado pelo Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), e passar por reciclagens periódicas.

Treinamento

“Nossos colaboradores são treinados para que sigam todos os procedimentos de segurança, prevenção de acidentes, evasão e contenção. As capacitações são focadas na direção defensiva e consciente, redução de custos e na prevenção de acidentes. Os treinamentos possibilitam troca de experiência entre os colaboradores e isso é interessante para a equipe”
, relata Vinícius.

A empresa transportadora precisa dispor de uma série de certificados e licenças. Os veículos devem ser identificados, portar documentos de inspeção e adequação emitidos por entidades credenciadas.

Realizamos check list nos veículos a cada retorno do motorista à empresa, verificando a parte mecânica e controle de itens obrigatórios de segurança. Monitorar a frota em tempo real ajuda na gestão do processo. Sempre oriento aos motoristas para estarem atentos e somente rodarem com o veículo em perfeitas condições de circulação. Em se tratando de transporte de produtos perigosos, qualquer desgaste mínimo pode colocar todos em risco. Manutenção preventiva é a melhor solução”, conclui Vinícius.

Veja também

Servioeste é premiada em Foz do Iguaçu22/11/19 Empresa e diretores receberam segundo prêmio internacional do ano pela qualidade dos serviços e contribuição para o desenvolvimento sustentável A Servioeste recebeu na noite desta quinta-feira (21), pela segunda vez no ano, o prêmio internacional que certifica a qualidade dos serviços prestados e a contribuição para o desenvolvimento social e......
Servioeste no Programa Cidade Show06/03/17 Confira a participação da Servioeste no Programa da RIC News (SC), a Diretora Financeira Sandra Balbinot fala um pouco sobre os serviços do Grupo....
Grupo Servioeste abre novos segmentos e expande mercado07/10/19 Empresa passa a gerenciar resíduos urbanos e industriais em todo o Brasil Em agosto de 1999, o empresário catarinense Doacyr Balbinot já avistava um nicho de mercado inovador que crescia com a onda da sustentabilidade. As empresas......

Voltar para Blog